Acreditar Sempre

acreditar sempre

Será que estamos dando atenção para as coisas certas? Será que estamos priorizando as batalhas que realmente transformarão nossas vidas em algo melhor? Será que em algum momento nos daremos conta de que o relógio está marcando o tempo que se foi e não que horas são? Podemos brincar de sermos francos desbravadores da aventura de viver, mas se não nos dermos conta do valor das pequenas coisas, jamais teremos realmente conquistado nada a não ser títulos e medalhas que não passam de honrarias em homenagem a coisas de valor algum. Estamos esperando um tapinha nas costas ou um reconhecimento no trabalho, na carreira, nos estudos ou em outros ritos sociais, por coisas pelas quais deveríamos, na maioria das vezes, lamentar… Afinal, nos distraíram por horas, dias, meses e até anos do que de fato tinha valor… Nos mantiveram dormentes e nos impediram de perceber a verdadeira magia da vida. Não demos atenção verdadeira para coisa alguma. Nem mesmo ouvimos genuinamente ao que nos falaram, de tão absortos no que supostamente tinha mais importância do que o outro, logo ao nosso lado. Balançamos com uma mão o berço e com a outra assistimos a TV… Jantamos com quem amamos enquanto respondemos as mensagens do whatsapp… Nos dirigimos ao trabalho enquanto nossas mentes já estão pagando as contas no banco… Tiramos fotos de tudo e agora, até “selfs”, sem nem mesmo participarmos verdadeiramente da cena. Nunca estamos presentes em lugar algum. Não ouvimos nada, a não ser nossos pensamentos. Não vemos nada, a não ser nossos planos. Não sentimos nada, a não ser nossos anseios. Estamos perdidos entre o ontem e o amanhã, sem jamais nos entregarmos verdadeiramente ao hoje. E a magia da vida? A declaração de amor? O gesto de gratidão? A brisa no rosto? O cair das folhas? A risada despretensiosa? As gotas da chuva e os raios de sol? Tudo de real que realmente há, tragicamente perdido entre um pensamento aqui e um plano ali, fica perdido diante das nossas distrações… Deixados para sempre nos ponteiros implacáveis do relógio que serviram apenas para adornar nossos pulsos, sem jamais deixar-nos ver a verdade por trás da virtualidade de nossas vidas “modernas”. E não adianta sair por aí na correria, se não for capaz de ouvir seu coração batendo, a brisa lhe acariciando, o mendigo cantando, a criança correndo, a senhora carregando as compras da feira ou o pássaro voando… Coragem e disciplina para viver um momento de cada vez.
Muito cuidado com essa correria, muito cuidado com tudo que se apresenta, sejamos corajosos e vamos acreditar sempre que com a proteção e ajuda de Deus em nossa vida nós somos capazes… acredite mais em você…!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.